6.5.05

ÚLTIMA BARREIRA


PERFUME

Vagueio
clandestino
pelas sombras
do desejo
em busca
da Última-barreira
que está algures
para além
dos precipícios olfactivos da Rosa.

Descanso.
Sento-me em cima
da felicidade
de um pássaro bizarro;
estou alto e tenho medo,
medo de não permanecer
eterna-mente alto.

Descarrego do olhar
a luz de todas as manhãs do mundo.
Encosto a Alma
à cor azul do céu e do mar;
fecho sono-lenta-mente os olhos...
actuam em mim,
como que por encanto,
mil sentidos virgens.
Consigo cheirar
o perfume intenso,
orgástico e arrebatador
da Rosa-Esotérica.

Sei agora
que estou perto da
Última-Barreira.